terça-feira, 31 de maio de 2011

CERIMÓNIAS MATRIARCAIS


“…Só do homem moderno depende (…) «despertar», esse inestimável tesouro de imagens que ele traz consigo; despertar as imagens, para contemplá-las na sua virgindade e assimilar a sua mensagem. (…) Certas línguas modernas continuam a lamentar o que «carece de imaginação» como um ser limitado, medíocre, triste, infeliz. Os psicólogos, na primeira linha dos quais se encontram Carl Gustav Jung, mostraram até que ponto os dramas do mundo moderno derivam de um desequilíbrio profundo da psique, tanto individual como colectiva, provocado em grande parte por uma esterilização crescente da imaginação. «Ter imaginação» é gozar de uma riqueza interior, de um fluxo ininterrupto e espontâneo de imagens.”

Mircea Eliade “Perenidade das Imagens” em Imagens e Símbolos

http://dieelektrischenvorspiele.wordpress.com/2011/05/27/cerimonias-matriarcais-em-nome-de-trebopala-laebo-e-trebaruna/

sexta-feira, 13 de maio de 2011

CONFIAR NA SABEDORIA DAS MULHERES


"Os valores da feminilidade

Os deuses que adorei exigiam a Dança da Morte… Talvez às mulheres se devesse confiar a responsabilidade pelo mundo, porque elas são guiadas pela emoção e não pelo intelecto.

De quem são estas palavras? De algum tântrico, com nostalgia da sociedade matriarcal da civilização do Indo antes que os arianos bárbaros e incultos caíssem sobre o seu território, submetendo a terra a fogo e sangue e reduzindo os sobreviventes à escravidão? Não. Elas vêm de um “ariano”, representante dum regime patriarcal e totalitário, dedicado ao culto dos deuses da guerra que pedem a Dança da Morte. E que ainda estão bem vivos: estão presentes nos silos dos foguetes, prontos para entregar os seus mísseis ao domicílio em qualquer lugar do mundo, e nas hordas de blindados prontos para provocar uma nova Dança da Morte. Então, como evitar a falência total e a autodestruição, tanto da civilização quanto da humanidade? O autor indica: confiar às mulheres a responsabilidade pelo mundo! Utópico? Talvez?

Vamos aos factos: de quem são estas palavras? Segurem-se: de Adolf Eichmann, pessoalmente, em confissão escrita na prisão de Israel, enquanto esperava pelo enforcamento."

In Tantra, o Culto da Feminilidade, André Van Lysebeth

Imagem: Herman Smorenburg (The Shaman)

POR UM MODELO CHAMADO PORTUGAL


Há mais de 30 anos uma equipa de pioneiros em torno do psicanalista Doutor Dieter Duhm, da teóloga Sabine Lichtenfels e do engenheiro e físico Charly Rainer Ehrenpreis tiveram a ideia de criar um modelo demonstrativo para o futuro, tão flexível, concreto e convincente quanto possível.

A partir dessa ideia e, em conjunto com a sua rede internacional, foi desenvolvido em Portugal e no Alentejo, o projecto Tamera de pesquisa para a paz.

Saudações a uma geração em movimento: por um modelo chamado Portugal
Saudamos Portugal e a sua jovem geração em movimento. O 25 de Abril lembra a força revolucionária de Portugal: há 37 anos, o país libertou-se em poucos dias de uma ditadura que durou décadas e pôs fim a um domínio colonial centenário. Agora, esse mesmo Portugal irá tornar-se uma colónia, uma colónia da UE? Isso não corresponde ao poder do país.
Lembrem-se: em tempos, os vossos antepassados percorreram este país. Viviam uma cultura de paz, do conhecimento e da cooperação com todos os seres vivos. Continuamos a encontrar os seus símbolos e os seus monumentos de pedra. A sua força e o seu amor continuam vivos até hoje, mas estão adormecidos. Lembrando-nos deles conseguiremos despertá-los.

Portugal não precisa de um escudo protector europeu. Portugal não só é capaz de se salvar economicamente como, neste momento, de crise até é capaz de ser um exemplo de modelo: um modelo de autonomia descentralizada, de riqueza e de autodeterminação. Um modelo com o qual países em situação semelhante poderão aprender novamente a tomar as rédeas do seu destino nas suas mãos.

Uma das palavras-chave é a auto-suficiência: a auto-suficiência é o poder dos sistemas descentralizados de rejeitar uma pretensão de poder vinda do exterior. Energia, água e alimentação estão livremente à disposição de toda a humanidade em abundância, se gerimos de um modo sensato os recursos naturais da nossa Terra. Uma vez recuperado o nosso conhecimento, ninguém na Terra tem de sofrer carências, fome ou frio. Os quatro fundamentos da vida têm de ser curados: a energia, a água, a alimentação e o amor. Estas

quatro fontes de vida têm de ser libertadas das potências obscuras que as destruíram (multinacionais, ditaduras, igrejas, etc.). Esta luta não é privada nem local, mas sim uma luta global. É uma luta entre as forças globais da vida e as forças globais da destruição. Quando a vida vence, não há vencidos.
A crise é uma oportunidade. Aqueles que hoje se erguem contra o despotismo em Portugal, Inglaterra, no Tripoli, no Cairo, na América Latina e no Tibete poderiam amanhã ser testemunhas de um mundo completamente diferente. Vemos uma nova geração de peregrinos de todos os países a percorrer o mundo. Já não estão nem ligados a nações, idioma, raça, cultura e religião, nem também à riqueza e posse. Ajudam em zonas de crise, visitam espaços sagrados, encontram-se junto a fogueiras e pousadas, dividem o seu pão e desenvolvem uma nova qualidade de comunidade. Assim, fora de todas as instituições, surge uma geração jovem de novos cidadãos do mundo, uma nova forma da “globalização” positiva. Este processo é apoiado através da criação de centros de uma nova espécie que aos poucos se espalham sobre a Terra. Chamamos-lhe “Biótopos de Cura” ou “Aldeias de Paz”. Prestam serviço aos peregrinos através de pousadas, aldeias de estudo e cidades de trabalho. Aqui é feito um trabalho prático de investigação para os fundamentos tecnológicos, ecológicos, sociais e espirituais de uma sociedade mundial sem violência.

Vamos trabalhar juntos no modelo Portugal.

O Campus Global em Tamera/Portugal

http://www.tamera.org/index.php?id=796&L=2

P.S. As ideias deste texto estão descritas em “O MANIFESTO DE TAMERA POR UMA NOVA GERAÇÃO NO PLANETA TERRA”.

O texto completo pode ser lido em:

http://tamera.org/manifesto/index_pt.html

Imagem Google (Tamera, com orbs...)