sexta-feira, 29 de outubro de 2010

INTEGRAR A SOMBRA


Uma vez que as três palavras de ordem do Samhain são:
Desapego
Gratidão (à vida em geral, aos nossos antepassados pelo seu legado)
Aprofundamento (integrar a sombra)
aqui está uma trabalho muito interessante sobre o que é isso, e como se pode fazer, de integrar a sombra.

"Um tema que anda meio “em voga” nos meios da magia ultimamente é a Sombra – o que ela é e como trabalhá-la. Como é um tema até certo ponto polémico, diversas visões sobre ele vão surgindo a cada momento. Neste artigo procuro dar a minha visão, tendo como apoio o estudo da Tradição Oculta Ocidental. Mas, antes de tudo, vamos analisar algumas outras visões sobre este tema.
Alguns tentam livrar-se da sua Sombra. Mas a meu ver, a sombra é parte indissociável da gente. Algo como um órgão vital. Se temos um problema cardíaco, não adianta arrancar o coração do peito achando que isso resolve. Da mesma forma, se temos algum problema de sombra (e todos temos!), não adianta querer "se livrar" da sombra, pois também não resolve.
Também não adianta sublimá-la, pois mais cedo ou mais tarde, quando baixamos a guarda, ela aflora. Sublimação é apenas um modo de adiar um trabalho que deve ser feito já.
Glorificá-la, como alguns procuram fazer, então, é psicose.
O que resta, portanto, é descobrir a função da sombra em você e integrá-la à sua consciência..."

Mais

SAMHAIN - HONRAR A MORTE, CELEBRAR A VIDA


Samhain - O Fim e o Início de um Ano Novo para os Celtas
(31 de Outubro - Hemisfério Norte)

“Este é o mais importante de todos os Festivais, pois, dentro do círculo, Samhain (pronuncia-se SOUEN) marca tanto o fim quanto o início de um novo ano. Nessa noite, o véu entre o nosso mundo e o mundo dos mortos se torna mais tênue, sendo o tempo ideal para nos comunicarmos com os que já partiram.

... E o ano chega ao final! Nossos últimos alimentos são colhidos após o equinócio de Outono, marcando o início dos meses em que viveremos com o que conseguimos armazenar. Os alimentos fornecidos pela Grande Deusa devem agora alimentar seus filhos famintos e nutrir o Deus em sua caminhada pelo "outro mundo". O raio do trovão que atingiu o carvalho e fecundou a terra é a promessa do retorno do Deus através daquela que um dia foi sua amante, mas que agora será sua mãe: a Deusa. E assim o ciclo de vida, morte e renascimento volta a estabelecer o equilíbrio a Roda do Ano.

O "Outro Mundo" celta, também conhecido como o Abismo, é um lugar entre os Mundos; uma mistura de paraíso e atormentações. É o lugar no qual todos buscamos respostas para as nossas perguntas mais íntimas, onde a fantasia se mistura à realidade e o consciente ao inconsciente. O Abismo é o local onde os heróis são levados para que possam confrontar seus maiores inimigos: seus próprios fantasmas. Somente vencendo esses fantasmas, que nada mais são que os seus medos, preconceitos e angústias, eles poderão retornar como verdadeiros heróis.
Esta é a simbologia do Santo Graal; uma busca interior de algo que queremos erroneamente materializar neste mundo. Somente os cavaleiros que ousarem atravessar os portais do "Outro Mundo" e vencerem a si próprios serão contemplados com a plenitude do Graal.
Durante esta noite o véu que separa esses dois mundos está o mais fino possível,
permitindo que espíritos do Outro Mundo atravessem o portal sem grandes dificuldades. Por isso, a Noite dos Ancestrais é um momento de nos lembrarmos daqueles que se foram e habitam o Outro Mundo. É hora de honrarmos as pessoas que um dia amámos, deixando que elas nos visitem e comemorem connosco esse momento tão especial da Roda do Ano.

Samhain é o festival da morte e da alegria pela certeza do renascimento. O Deus morreu, e a Deusa, trazendo no ventre o seu amado, recolhe-se ao Mundo das Sombras para esperar o seu renascimento. Comemora-se aqui a ligação com os antepassados, com aqueles que já partiram e que um dia, como a natureza, renascerão. Os cristãos transformaram essa data no "Dia de Todos os Santos" e no "Dia de Finados", numa alusão a essa ligação.


É uma noite de alegria e festa, pois marca o início de um novo período em nossas vidas, sendo comemorado com muito ponche, bolos e doces. O Altar é adornado com maçãs, símbolos da Vida Eterna. O vinho é substituído pela sidra ou pelo sumo de maçã. Os nomes das pessoas que já se foram são queimados no Caldeirão, mas nunca com uma conotação de tristeza!
A Roda continua a girar para sempre. Assim, não há motivo para tristezas, pois aqueles que perdemos nesta vida irão renascer, e, um dia, nos encontraremos novamente, nessa jornada infinita de evolução. Esta é uma data de renascimento!”
Fonte: desconhecida (grata do mesmo modo)