terça-feira, 5 de outubro de 2010

PROTEGER A ENERGIA DO NOSSO LADO SENSÍVEL


“A natureza do feminino - força tendente à fusão e à unidade -
é sabedoria, amor e clarividência expressa através de sentimentos e desejos.
A natureza do masculino é arriscar tudo na acção ao serviço do feminino, tal como o cavaleiro pela sua donzela.


Abandonando-se a ela e agindo por ela, a nossa energia masculina constrói em nós a estrutura duma personalidade que protege e honra a energia sensível do nosso lado feminino intuitivo”.


Fonte: “Vivendo na Luz”, Skakti Gawain

O QUE SIGNIFICA SER UMA BRUXA?


“Quando no séc. VIII cessaram as perseguições, chegou a era da incredulidade. A lembrança do autêntico Ofício tinha-se desvanecido e os horríveis estereótipos que restavam pareciam ridículos, absurdos ou trágicos. Apenas neste século, as Bruxas puderam sair do “armário das vassouras”, por assim dizer, e responder com a verdade às imagens do mal.
A palavra BRUXA tem tanta carga negativa que muitas pessoas perguntam-nos por que a usamos. No entanto, reclamar o direito a usar a palavra BRUXA é reclamar o nosso direito, como mulheres, de sermos poderosas; como homens, o direito de conhecer o aspecto feminino interior como divino.

Ser uma BRUXA é identificar-se com os nove milhões de vítimas da intolerância e do ódio e assumir a responsabilidade por dar forma a um mundo no qual os preconceitos já não exijam mais vítimas. Uma BRUXA é uma “formadora”, uma criadora que molda o invisível, dando-lhe forma, e convertendo-se assim numa sábia, alguém cuja vida está repleta de magia.”
STARHAWK, A Dança Cósmica das Feiticeiras
Imagem: Google