sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

2011 CHEGOU!


Pois bem, como diria aquela autora do blogue que acabo de visitar, apesar do tempo passar tão depressa, 2010 foi um ano em que aconteceu tanta coisa... e pelos vistos não foi só a mim... Fiz por exemplo duas viagens extraordinárias: Findhorn, que há muito queria conhecer, e Madrid, para a primeira Conferência da Deusa na Ibéria. Tanta coisa que daria muito trabalho contar aqui... Foi um ano notável, que muito agradeço à Vida.
Acho que este ano que agora findou ganhou muita qualidade por eu ter pura e simplesmente decidido (e cumprido) desligar a televisão. Em vez dela, li, estudei, escrevi, meditei, rezei, fiz Reiki, altares e rituais...
Gostei particularmente de ter criado o meu workshop A DEUSA NO CORAÇÃO DA MULHER e de o ter realizado. Adorei a experiência. Mas também o facto de ter continuado o meu trabalho com o MÉTODO LOUISE HAY de Desenvolvimento Pessoal.
Também foi o ano em que conheci o movimento da Permacultura e mulheres tão fantásticas e carismáticas como STARHAWK, KATHY JONES, VICKY NOBLE e em que li LA FEMME CELTE, do Jean Markale...
Um ano em grande, como já disse.

Sei que 2011 será igualmente um Grande Ano, para mim e para todas e todos @s meus/minhas visitantes, seguidoras e seguidores, leitoras e leitores. Bem hajam pela atenção. Muitas bênçãos da Deusa para todas e para todos.

quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

CAROL CHRIST: VOLTAR A CRETA


Carol Christ: algumas considerações sobre a Deusa e a Grécia na minha vida
Carol Christ (Ph.D. Yale University, 1974)

Comecei a interessar-me pelo feminino e religião no tempo em que eu era umas das raras mulheres a fazerem uma pós-graduação em Estudos Religiosos na Universidade de Yale, nos anos 60. Quando lia nas obras dos teólogos considerados “grandes” que a mulher está para o homem como a alma está para o corpo, que as mulheres têm capacidades racionais inferiors às dos homens, que o homem deve ter a iniciativa, precedência e autoridade sobre a mulher e coisas do género. Apercebi-me então de que havia algo de errado com as religiões tradicionais e que as imagens de Deus Pai, Filho, Senhor e Rei eram parte do problema. Como disse Mary Daly, se Deus é um homem, então o homem é Deus.

Inicialmente as antigas imagens da Deusa não me interessaram. Atena era uma guerreira que sempre emparceirava com os homens. Afrodite era um objecto sexual, e por aí fora. Entretanto, depois de muita pesquisa, ajudada por outras mulheres, comecei gradualmente a perceber que para lá das conhecidas Deusas do patriarcado existia uma outra Deusa muito mais antiga. A Deusa da velha Europa e da antiga Creta representava a unidade da vida na natureza, com toda a diversidade das suas formas, e os poderes do nascimento, morte e regeneração. Na religião da Deusa a morte não é temida, mas antes entendida como parte da vida, seguida pelo renascimento e renovação. Nós não somos a 'senhora' que domina a natureza e todas as criaturas. Ao contrário, estamos tod@s interligad@s na teia da vida.


Na velha Europa e na antiga Creta, as mulheres eram respeitados pelo seu papel na descoberta da agricultura e na invenção das artes da tecelagem e cerâmica. Os homens eram valorizados pela sua contribuição na agricultura, comércio e navegação dos rios e mares. A guerra era desconhecido ou raramente praticada. Apesar de ter vivido em épocas mais violentas, Safo lembra "como os graciosos pés das raparigas cretenses dançaram uma vez em torno dum altar ao amor" e escreveu que "aquilo que se ama" deve ser mais valorizado do que corpos mutilados, a infantaria e os navios de guerra.

Ao viajar por Creta, procuramos conectar-nos com essas mulheres do passado, com um tempo e um lugar onde as mulheres se sentiam à vontade no seu corpo, honrado e reverenciado, não subordinado a quem quer que fosse. Buscamos o conhecimento de uma época em que homens e mulheres se reuniam livremente, sem os fantasmas de dominação e controlo, auto-desprezo e vergonha, que têm marcado a relação entre os sexos durante milhares de anos. Descobrimos que as pedras antigas falam.

Ao descendermos às cavernas sentimo-nos enraizadas na Mãe Terra e na certeza do poder do nosso corpo de mulher. Procuramos curar as feridas do patriarcado, a violência e a guerra. Esperamos participar na criação de culturas pacíficas e ecologicamente equilibradas, nas quais cada homem e mulher, cada criatura e cada coisa viva é respeitada e reverenciada pela sua contribuição singular para a teia da vida.

http://www.goddessariadne.org/carolwords.htm

domingo, 19 de dezembro de 2010

OS TRÊS CÉREBROS


Como Viver Sabiamente a Vida
“Faz-se urgente compreender a necessidade de aprender a viver sabiamente. Se queremos uma mudança definitiva, faz-se necessário que tal mudança se verifique primeiro dentro de nós mesmos; se não eliminamos nada do que temos internamente, externamente a vida continuará com suas dificuldades”. (Samael Aun Weor, O estado hipnótico em que vive o ser humano)
A Psicologia Revolucionária da Nova Era afirma que a Máquina Orgânica do Animal Intelectual, falsamente chamado homem, é tricentrada ou tricerebrada.

O Primeiro Cérebro está encerrado na caixa craniana. O Segundo Cérebro está constituído pelos plexos nervosos simpáticos e, em geral, por todos os centros nervosos específicos do organismo humano. O Terceiro Cérebro corresponde concretamente à espinha dorsal com sua medula central e todas as suas ramificações nervosas.

O Primeiro Cérebro é o Centro Pensante. O Segundo Cérebro é o Centro Emocional. O Terceiro Cérebro é o Centro do Movimento, comumente denominado Centro Motor (os cinco centros se distribuem nos três cérebros, pois cada um deles tem sua autonomia).
Está completamente demonstrado na prática que todo abuso do Centro Pensante produz gasto excessivo de energia intelectual. É lógico afirmar, sem temor a dúvidas, que os manicômios são verdadeiros cemitérios de mortos intelectuais.

O sentido estético, a mística, o êxtase, a música superior são necessários para cultivar o Centro Emocional, mas o abuso deste cérebro produz desgaste inútil e desperdício de energias emocionais. Abusam do Centro Emocional os existencialistas da “nova onda”, os fanáticos do rock, os pseudoartistas sensuais da arte moderna, os que cultivam a sensualidade passional e mórbida etc.

Os esportes harmoniosos e equilibrados são úteis para o Centro Motor, mas o abuso do esporte significa gasto excessivo de energias motrizes, e o resultado costuma ser desastroso. Não é absurdo afirmar que existem mortos do Cérebro Motor. Estes são conhecidos como doentes de hemiplegia, paralisia progressiva etc.

Ainda que pareça incrível, a morte certamente se processa por terços em cada pessoa. Já está comprovado, até a saciedade, que toda enfermidade tem sua base em algum dos três cérebros.
Faz algum tempo um amigo nosso adoeceu; havia abusado demasiadamente do cérebro intelectual. Esse homem havia se dedicado demais ao intelecto e um dia sofreu uma embolia. Quando fomos visitá-lo, aconteceu que seu cérebro intelectual não pôde coordenar as ideias.
Dias depois seu cérebro motor faleceu; então é óbvio que já não pôde mais se mover. Por último, faleceu o cérebro emocional; teve uma parada cardíaca. Sempre se morre por terços, e isto já está demonstrado.

A Grande Lei depositou sabiamente em cada um dos três cérebros do animal intelectual determinado capital de Valores Vitais. Economizar este capital significa de fato prolongar a vida; malgastar este capital produz a morte.
Arcaicas tradições que chegaram até nós desde a noite aterradora dos séculos afirmam que a média de vida humana no antigo continente Mu, situado no oceano Pacífico, oscilava entre doze e quinze séculos.

Com o passar do tempo, através de todas as idades, o uso equivocado dos três cérebros foi encurtando a vida pouco a pouco. No país ensolarado de Kem, lá no velho Egito dos Faraós, a média de vida humana alcançava já apenas cento e quarenta anos.
Atualmente, nestes tempos modernos de gasolina e celuloide, nesta época de existencialismo e rebeldes do rock, a média de vida humana, segundo algumas companhias de seguro, é de apenas sessenta anos.

Os senhores marxistas-leninistas da antiga União Soviética, fanfarrões e mentirosos como sempre, andavam por aí dizendo que haviam inventado soros especiais para prolongar a vida, mas o velhinho Kruschev, que não tinha nem 80 anos, tinha de pedir licença a um pé para levantar o outro.
No centro da Ásia existe uma comunidade religiosa constituída por anciães que já nem se lembram de sua juventude. A média de vida destes anciãos oscila entre quatrocentos e quinhentos anos. Todo o segredo da longa vida destes monges asiáticos consiste no sábio uso dos três cérebros.

O funcionamento equilibrado e harmonioso dos Três Cérebros significa economia de valores vitais e, como consequência lógica, o prolongamento da vida.
Existe uma lei cósmica conhecida como “Igualação das Vibrações de Muitas Fontes”. Os monges do citado mosteiro sabem utilizar esta Lei, mediante o uso dos Três Cérebros.
A pedagogia contemporânea conduz os alunos e alunas ao abuso do Cérebro Pensante, cujos resultados já são conhecidos pela psiquiatria.

O cultivo inteligente dos Três Cérebros pertence à “Educação Fundamental”. Nas antigas Escolas de Mistérios da Babilônia, Grécia, Índia, Pérsia, Egito etc., os alunos e alunas recebiam informação íntegra direta para seus Três Cérebros, mediante o preceito, a dança, a música, etc., inteligentemente combinados.

Os teatros dos antigos tempos formavam parte da escola. O drama, a música, o ensinamento oral etc., serviam para informar os Três Cérebros de cada indivíduo.
Então os estudantes não abusavam do Cérebro Pensante, e sabiam usar com inteligência e de forma equilibrada seus Três Cérebros.

As danças dos Mistérios de Elêusis, na Grécia, foram sempre utilizadas para transmitir conhecimentos aos discípulos e discípulas.
Agora, nestes tempos degenerados do rock, os alunos e alunas, confundidos e desorientados, andam pelo caminho tenebroso do abuso mental.

Atualmente, não existem verdadeiros sistemas criadores para o cultivo harmonioso dos Três Cérebros. Os professores e professoras de escolas, colégios e universidades só se dirigem à memória infiel dos estudantes entediados, que esperam com ansiedade a hora de sair da aula.
É urgente, indispensável, saber combinar Intelecto, Emoção e Movimento com o propósito de levar informação íntegra aos Três Cérebros dos estudantes. É absurdo dar informação a um só cérebro. O Primeiro Cérebro não é o único instrumento cognitivo. É criminoso abusar do Cérebro Pensante dos alunos e alunas.

A “Educação Fundamental” deverá conduzir os estudantes pelo caminho do Desenvolvimento Harmonioso. A “Psicologia Revolucionária” ensina claramente que os Três Cérebros têm três tipos de associações independentes, totalmente distintas. Esses três tipos de associações evocam diferentes tipos de impulsos do Ser.

Isso nos dá de facto TRÊS PERSONALIDADES DIFERENTES, que não possuem nada em comum, nem em sua natureza, nem em suas manifestações.
A Psicologia Revolucionária da Nova Era ensina que em cada pessoa existem três aspectos psicológicos diferentes. Com uma parte do material psíquico desejamos uma coisa; com outra parte fazemos algo totalmente oposto.

Em um instante de suprema dor, talvez a perda de um ser querido ou qualquer outra catástrofe íntima, a PERSONALIDADE EMOCIONAL chega ao desespero, enquanto a PERSONALIDADE INTELECTUAL se pergunta o porquê de toda esta tragédia e a PERSONALIDADE DO MOVIMENTO só quer fugir da cena.

Essas três Personalidades distintas, diferentes e muitas vezes até contraditórias, devem ser inteligentemente cultivadas e instruídas com métodos e sistemas especiais em todas as escolas, colégios e universidades.
Do ponto de vista psicológico, resulta absurdo educar exclusivamente a Personalidade Intelectual. O homem tem três Personalidades que necessitam urgentemente da “Educação Fundamental”.
http://www.gnosisonline.org/textos-especiais/os-centros-da-maquina-humana/
Imagem: Diana Vandenberg

domingo, 12 de dezembro de 2010

"Estou disposto a partilhar os meus segredos"

O GUERREIRO DO CORAÇÃO
“Compreendi que quando a força do homem é distorcida pelas expectativas sociais de sucesso narcisista, de dominação da natureza, das crianças, do feminino, toda a sua vida se desequilibra. O lado machão pode ser usado como um processo de amor, revertendo a trajetória de violência e destruição. A tarefa psicológica do homem atual é lidar com a força masculina bruta, localizada nos 3 primeiros chacras, sem a bloquear ou rejeitar e sem tampouco deixar que ela tome conta da sua consciência, assim será capaz de se relacionar por inteiro com os demais sem perder a sensibilidade.

Creio que uma característica marcante do novo modelo é a vontade de partilhar os sentimentos mais íntimos, de se abrir com outros homens, com a mulher, filhos, família. Estou disposto a partilhar os meus segredos, pois como disse Jung, os nossos segredos são a causa das nossas doenças. Ao expor as minhas fraquezas, espero que me vejam como ser humano, e se animem a contar as suas histórias e assim começamos a compreender-nos uns aos outros.

O Guerreiro do Coração, gasta a sua energia a partilhar os seus sentimentos em vez de lutar contra eles ou escondê-los. É a capacidade de dizer claramente: "não aceito o modelo que me foi imposto, quero estabelecer um relacionamento novo, e íntimo, de abertura e confiança, e vou buscar as pessoas que também sintam e pensam assim." Este é o meu guerreiro, esta é a minha identidade masculina. Nós, homens, estamos destruindo a camada de ozono, que é o sistema imunológico da Terra. O que estamos fazendo com o corpo da Terra é o mesmo que o câncer e a SIDA fazem com os nossos corpos. Temos que começar a conectar-nos com o nosso coração com o dos outros homens, para podermos perceber a partir do coração e cuidar de nós e do mundo à nossa volta.

Em todos os rituais indígenas, alguns bastante severos, o jovem guerreiro tem que passar por diversas experiências interiores, até chegar ao ponto em que encara o próprio medo de morrer - o medo da morte física. Ele vivencia a sua morte e então o ego defende-se, tenta controlar a situação. Um grupo de anciãos e homens experientes ajudam-no a passar por esse processo de morte, por essa projeção do eu que se apega a ideia "sou um homem, sou mais poderoso que qualquer coisa ao meu redor". O indivíduo então vê como é insignificante a sua identidade do ponto de vista do macrocosmo. O importante é que essa morte seja cercada pelo amor dos outros, para sair da experiência sem se sentir um fraco. A partir daí você começa a sentir-se mais receptivo, mais humilde, mais aberto.

Nos rituais em grupo, após determinado momento, percebemos que entramos em estados alterados de conciência, podemos vivenciar um ao outro em mais profundidade e perceber melhor o nosso coletivo. É importante os homens perceberem o poder que criam em grupo. Um poder que em geral é usado para destruir, através de conflitos, guerras e até religião. Sentir e ver que esse poder é um estado, um local de AMOR, de intimidade, faz parte do novo homem.”

Guerreiro do Coração - Uma nova Identidade Masculina
Texto de Craig Gibsone, diretor da Fundação Findhorn, Escócia

Imagem: Craying Man, Kate Kretz

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

DENUNCIAR A FREQUÊNCIA DO MEDO


"Alguns deuses criadores criaram vidas apenas para que estas cuidassem deles, atendessem às suas necessidades. Eles alimentaram-se das suas emoções. Um dos grandes segredos que não vos foi revelado como espécie, é a riqueza e o poder que acompanham as emoções. Vocês foram orientados para não explorarem as vossas emoções, porque através delas podem compreender as coisas. Através das emoções vocês conectam-se com o vosso corpo espiritual. O Corpo, espiritual é o corpo não –físico , existe na esfera multidimensional.
Está ocorrendo, neste momento, uma transferência na ordem da modulação de frequência do planeta, e energias ex¬ternas estão a trabalhar nessa mudança. Estas energias precisam de vocês. Elas não podem alterar o planeta de fora – o planeta precisa de ser alterado de dentro. As energias simplesmente trazem os raios cósmicos criativos que penetram nos vossos corpos criando o salto evolutivo dentro de vocês. Uma vez que compreendam o uso adequado da emoção e co¬mecem a adquirir controlo sobre a vossa própria frequência, serão capazes de irradiar estes raios. E então a frequência do medo nesse plano de existência não mais será alimentada.

A diminuição da frequência do medo neste planeta pro-vocará uma disseminação de actividades destinadas a aumentá-lo para alimentar os seres que se nutrem desta frequência. Eles tentarão restabelecer a frequência do medo antes de mudar sua nutrição para a frequência do amor. Os Lizzies instalaram na Terra dispositivos que podem difundir e amplificar o desequilíbrio emocional no planeta. Este desequilíbrio é-vos enviado e sustenta-vos de alguma forma.

Para se chegar a um planeta é necessário um portal, ou um caminho de acesso. Vocês podem voar pelo espaço, para Júpiter por exemplo, mas se não encontrarem o portal que permita a vossa entrada na estrutura temporal de existência do planeta, vão pousar num lugar que parecerá desolado, sem vida. Os portais permitem a entrada na dimensão do planeta onde existe vida. Eles abrem-se para corredores de tempo e servem como zonas de experiências multidimensionais."
in Mensageiros do Amanhecer, Barbara Marciniak

Mais em Holosgaia
Imagem: Google

sábado, 4 de dezembro de 2010

AMANHÃ É LUA NOVA


LUA NOVA EM SAGITÁRIO – 5 DE DEZEMBRO DE 2010

Esta Lua Nova em Sagitário (signo de fogo) cria um portal de consciência que vem ensinar-nos o significado da palavra expansão, ou seja, procurar novas ideias e territórios, novas descobertas. Por isso, viagens e estudos (tanto para aprender como para ensinar) são bons pedidos para esta Lua Nova.

Uma outra prática interessante é imaginar onde vai querer estar daqui a 1, 5 ou 10 anos, focando-se nas áreas em que se quer aperfeiçoar. Imagine-se nessa realidade que quer ver daqui a algum tempo.
Se tem um negócio, por exemplo, foque-se em como expandi-lo (encontrar novos mercados, novas maneiras de trabalhar etc.).

Uma outra atividade indicada nessa Lua Nova é conseguir fazer uma conexão mais profunda com a sua espiritualidade. É também um bom momento para estudar filosofia.

Na parte negativa, tome cuidado com gastos ou consumos exagerados de quaisquer tipos. Também tome cuidado com o que você deseja, pois os astros, deuses ou seja lá no que você acreditar, estarão lhe ouvindo atentamente.
Nesta Lua Nova, deixe para trás qualquer “bagagem” que esteja muito pesada, principalmente as emocionais.
Em resumo: procure por novos horizontes, olhe sempre para a frente, explore o mundo livremente e afaste-se de todas as formas de opressão.

Deusa para trabalhar nesta Lua Nova: Ártemis
Planeta: Júpiter
Danielle Sales