terça-feira, 30 de junho de 2009

O Mundo é espiritual


A FÍSICA QUÂNTICA E A IMPORTÂNCIA DO OBSERVADOR

A física quântica talvez tenha introduzido justamente o ponto da recuperação do papel do observador, a importância do observador...
Essa é uma observação que nos faz abandonar a pergunta: qual é a realidade verdadeira? Existem realidades para cada um. É necessário que consigamos lidar com a pessoa na realidade em que ela sente que está.
É uma questão de linguagem, esses são fenómenos naturais, em vez de pensarmos que nós possuímos vidas e mortes... vidas e mortes... há uma consciência que "atravessa" a aparência da vida e da morte!
Consideramos tudo isso muito sólido. Mas a vida arromba essas prisões... porque essas prisões não são verdadeiras... então o que é verdadeiro? O fato de que nós somos seres livres.
A espiritualidade na visão budista é a ciência do "ou não", ou seja, nós estamos completamente presos, sem saída, sem solução... "OU NÃO"! Porque não há efetivamente uma rigidez no mundo onde aparentemente vivemos... essa é a razão pela qual a espiritualidade é fundamental. O MUNDO É ESPIRITUAL!
Lama Padma Samten (Físico, budista).

Texto: Esteja Aqui e Agora
Imagem: Mater Mundi

Anjos Humanos


Clique aqui. Dedicado a todas(os) as(os) minhas/meus amigas(os) e... seguidoras(es).


Copiado do magnífico MATER MUNDI
Imagem: Google

Como o deserto...


...Essa memória do éden assedia a nós todos
Essa flor do deserto, esse raro perfume...

in Desert Rose, by Sting

Existe um ensinamento antigo que se encontra no cerne do verdadeiro desenvolvimento espiritual: a fim de estarmos constantemente conectados com a Luz do Criador, temos que nos desenvolver e nos tornar como o deserto.

O deserto é um espaço aberto, sem dono, dentro do qual qualquer um pode fazer o que quiser. Este é o suposto nível até onde devemos desenvolver-nos.

Ser como o deserto significa que você não se importa com o que as pessoas lhe fazem, com o que as pessoas lhe dizem ou com o que elas não lhe fazem ou não lhe dizem. Significa ser livre no sentido mais profundo.

A nossa natureza é geralmente o oposto do deserto. Ficamos extrema e constantemente preocupados com o que os outros fazem, dizem ou até mesmo com o que pensam sobre nós.

Somos prisioneiros de quase todo a gente, porque as suas acções, palavras e pensamentos podem influenciar os nossos sentimentos e a nossa vida.

A fim de nos desenvolvermos espiritualmente, precisamos de trabalhar constantemente no sentido de ser como o deserto, sentindo-nos abertos e livres como o deserto.

Não se trata de um processo fácil, mas não só ele possibilita imensamente o nosso desenvolvimento espiritual, como também nos leva a um nível de equanimidade e paz que não pode ser alcançado de qualquer outra forma.

É um processo que demanda constante foco e esforço, mas cujo efeito espiritual e prático é imenso.

http://siriusmagna.blogspot.com/search/label/ser%20um%20deserto

Imagem: Google