quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

Ajuda-os a desenrascarem-se...

S.O.S. 1995

Demora-te bastante com a tua raiva,
dorminhoco.
Não a desperdices em motins.
Não a embaraces em ideias.
O Diabo não me deixa falar,
só me deixará insinuar
que és um escravo,
a tua tristeza uma política deliberada
daqueles sob cujo domínio tu sofres,
e que se sustentam
do teu infortúnio.
As atrocidades ali,
a paralisia interior aqui –
satisfeito com a melhor oferta?
Estás manietado.
Andas a ser criado para a dor.
O Diabo ata-me a língua.
Estou a falar contigo,
“amigo da minha vida rabiscada.”
Foste conquistado pelos que
sabem conquistar invisivelmente.
As cortinas mexem-se tão graciosamente,
cortinas de renda de uma
velha e doce intriga:
O Diabo a tentar-me
para que abdique de te assustar.
Por isso devo dizê-lo rapidamente:
quem quer que esteja na tua vida,
aqueles que te magoam,
aqueles que te ajudam:
aqueles que conheces –
desenrasca-os,
ajuda-os a desenrascarem-se.
Reconhece a rasca.
Estás a ouvir a Rádio Resistência.

Leonardo Cohen, O Livro do Desejo, Edições Quasi

Imagem: Google