quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

ESCRAVOS DOS TEMPOS MODERNOS

TU SABES QUE ESTÁS A FICAR LOUCO NO SÉCULO XXI QUANDO:


1. Envias um e-mail ou usas o GTalk para conversar com a pessoa que
trabalha na secretária ao teu lado;

2. Usas o
telemóvel na garagem de casa para pedir a alguém que te
ajude a levar as
compras;

3. Esqueces o telemóvel
em casa (coisa que não tinhas há 10 anos
atrás), ficas apavora
do e voltas para buscá-lo;

4. Levantas-te pela manhã e quase q
ue ligas o computador antes de tomar o café;

5. Conheces o significado de tb, qd, cmg, mm, d
ps, k, ...;

6. Não sabes o preço de um envelo
pe comum;

7. A maioria das anedotas que conhec
es, recebeste por e-mail (e ainda
por cima ris sozinho...);

8. Dizes o nome da tua empresa quando atendes ao telefone em tua
própr
ia casa (ou até mesmo o telemóvel!!);

Digitas o '0' para telefonar desde tua
casa;

10. Vais para o trabalho quando
está a amanhecer, voltas para casa
quando anoitece de novo;

11. Qu
ando o teu computador pára de funcionar, parece que foi o teu
coração que parou;

11. Estás a ler esta lista e a concordar com a cabeça e a sorrir;

12. Estás a concordar tão interessado na leitura que nem reparaste que
a lista não tem o número 9;

13. Retornaste à lista para verificar se era verdade que faltava o
número 9 e nem viste que há dois núm
eros 11;

14. E AGORA ESTÁS A RIR DE TI MESMO!!!

15. Já estás a pensar para quem vais enviar esta mensagem;

16. Provavelmente agora vais clicar no botão 'Reencaminhar'... é
a vida
...que mais poderias fazer?... foi o que eu fiz também...

Feliz mode
rnidade."

(E-mail recebido há pouco...)

OS ESCRAVOS DOS TEMPOS MODERNOS

"Em contraste com os que vivem em tribos, poucas pessoas dizem não ser sequer remotamente “livres” na nossa sociedade moderna: são escravas dos tempos modernos, mantidas em cativeiro pelos “proprietários de escravos” da nossa cultura.

Os proprietários de escravos utilizam as correntes da hipoteca devida ao banco, do empréstimo para o carro, das contas do cartão de crédito por pagar, da exigência de pagamento de impostos se possuírem casa própria, e as muitas outras formas subtis e não tão subtis de pressão económica e cultural que nos retiram a maior parte do tempo de vida e o utilizam para os seus próprios fins.
(…)

Os escravos sabem quando são escravos, independentemente das palavras utilizadas para descrever a sua escravidão. E procurarão escapar à escravidão, seja através de drogas cada vez mais potentes, de “entretenimento” cada vez mais intenso, ou de comportamento psicopático violento.

Temos de começar a ensinar aos nossos filhos e aos nossos cidadãos como procurar uma história mais verdadeira do mundo e encorajá-los a procurar a verdade do presente. Só assim conseguiremos voltar a ligar-nos ao passado e começar a criar uma identidade pessoal, identidade colectiva e responsabilidade colectiva maiores. A partir desse novo sentido de quem somos e de qual o nosso lugar no mundo, tornar-se-ão visíveis e possíveis as coisas que temos de fazer para ajudar a salvar o mundo; sem essa perspectiva, parecem esmagadoras e impossíveis.

Nas minhas explorações neste campo, cheguei à conclusão de que os povos das Culturas Antigas do mundo têm lições importantes para nos dar. Na verdade, podem ser essas as lições que salvarão o nosso mundo…”

OS NOSSOS MITOS MAIS MORTAIS

"A nossa cultura ensina que as civilizações (cidades/estados) surgem em resultado de inovações tecnológicas (como a agricultura), proporcionando às pessoas mais tempo livre. Com este tempo livre, diz a história, produzem arte, literatura, religião e exploram o cosmos. As culturas "primitivas" não têm essas coisas porque não têm tempo para elas.

De facto, no entanto, estes são dois dos nossos mitos mais mortais."

AS ÚLTIMAS HORAS DA ANTIGA LUZ DO SOL, Thom Hartmann

Imagens: Google