sábado, 3 de outubro de 2009

COMO ESCAPAR DA NOSSA PRISÃO


A LEI NA VISÃO MAIOR


“Como poderei situar as diferentes pessoas usadas no sistema legal e as minhas próprias descobertas pessoais? O que é que determina o seu estatuto como escravos ou pessoas livres?

Vêem-me à mente rapidamente três observações:

1) A JUSTIÇA
e as suas leis foram feitas para as pessoas que vivem no mundo da ilusão: a pessoa fictícia (lei marítima, Lei Romana) e a pessoa física (lei terrestre, Lei Comum). Ambas estas pessoas constituem o cidadão, que é súbdito de um soberano externo. A principal característica da cidadania é a de que a autoridade externa e a obediência interna estão separadas, o que acarreta dualidade, divisão, conflito e guerra. A Lei de Lucifer aplica-se sempre que há a ideia de um Deus externo.

2) A JUSTEZA é típica da pessoa soberana que apenas obedece à sua suprema autoridade interior – a alma. Só a alma sabe a verdade e a pode distinguir da falsidade. Para a pessoa soberana, autoridade e obediência estão unidas e existem dentro de uma pessoa. Isto traz consigo unidade, harmonia e paz. O Ser Supremo, o criador interno, não está submetido a nenhuma lei, porque cria tudo no momento presente. É amor infinito e não conhece nem o certo nem o errado.

3) As VIBRAÇÕES mais rápidas têm sempre precedência sobre as mais lentas. O Ser Supremo inerente a tudo quanto existe gera todas as vibrações. Assim, ela/ele é ao mesmo tempo o criador e a matéria criada. Cada ser humano é o Ser Supremo, quer esteja consciente disso ou não.”

In MADAME GHIS – Escape in Prison, da autoria de GHIS, 2009

(Traduzido do inglês por Mariana Inverno)

Publicado por Rosa Leonor, Mulheres & Deusas

Um comentário:

Anônimo disse...

ÓPTIMA IMAGEM...vou copiar...

abraço

rosa leonor