domingo, 19 de outubro de 2008

MANUAL DE ASSERTIVIDADE

Descubra a sua outra parte...

Há uma poderosa e intrínseca parte de nós próprias que permaneceu incógnita até hoje, cheia de energias por explorar. Anos de repressão obrigaram esta parte de nós próprias a procurar esconderijo nos recessos da nossa alma. E porque não a compreendemos, tudo fazemos para a manter no escuro, que nos parece ser o lugar a que pertence.

É a Cabra que Há em Nós. Vá lá, não faça de conta que não sabe do que é que estamos a falar.

Todas a conhecemos. Está mesmo quase à superfície da nossa consciência e da nossa cultura. É uma parte de nós inteligente, confiante e digna que sabe muito bem o que quer. Diz-nos para não aceitarmos menos do que o que nos é devido. E avisa-nos quando estamos prestes a embarcar em comportamentos derrotistas,

A Cabra que Há em Nós não é aquela parte de nós que às vezes é estúpida, mazinha ou sisuda. Ela nem entra em comportamentos derrotistas, nem se impõe abusivamente aos outros.

A Cabra que Há em Nós não entra em discussões estéreis, nem mesmo por desporto. Não se rala com isso.

A Cabra que Há em Nós nunca entra em discussões subtis com adversários que não estejam à altura. E nunca receia dizer “Eles que se lixem se não aguentam uma boa piada”.

Para mim, esta é uma verdade auto-evidente: libertando-A, poderemos usar o seu poder e energia para os nossos mais altos desígnios.

Se a ignorarmos, corremos o risco de a ver soltar os cavalos enraivecidos se a pressão de ser Simpática se tornar demasiado forte. Todas nós já vimos isso acontecer; e não é algo bonito de se ver.

Quando não reconhecemos a existência da Cabra que Há em Nós, ficamos com borbulhas. Ou engordamos. Ou tornamo-nos fúteis, resmungonas, choramingas, histéricas. (...)

Como é que podemos pôr fim a estes comportamentos derrotistas, particularmente após uma vida inteira de Toximpatia?

Basta uma frasezinha:

“NÃO ME PARECE.”

Elizabeth Hilts, Descubra a Cabra Secreta que Há em Si, Bizâncio