sexta-feira, 30 de maio de 2008

Um Novo Paradigma Científico

"...actualmente, vem crescendo o consenso, muito lentamente, de que a Física Quântica não está completa, a menos que concordemos que nenhum fenómeno é um fenómeno se não for registado por um observador, na consciência de um observador. E isso tornou-se a base da nova ciência. É a ciência que, aos poucos, mas com certeza, vem integrando os conceitos científicos e espirituais. "


"Neste livro estimulante, o físico indiano Amit Goswami - autor do best-seller A Física da Alma - contesta radicalmente o realismo materialista e desconstrói a convicção de que a matéria é o principal elemento formador da criação. Em vez disso, afirma que o verdadeiro fundamento de tudo aquilo que conhecemos e percebemos é a consciência. Portanto, tudo o que existe e se move no cosmos é gerado pela consciência, aqui entendida como algo transcendental - fora do espaço-tempo, não local e omnipresente. Propõe, assim, uma teoria revigorante e desafiadora, erguendo uma ponte sobre o abismo entre ciência e espiritualidade e construindo um novo paradigma científico: o universo não existe sem algo que lhe perceba a existência."

Amit Goswami é físico, doutorado em física quântica, nascido na Índia, filho de um guru hinduísta. Pesquisador e professor titular da Universidade de Física de Oregon, nos Estados Unidos da América, e também conhecido por ter publicado o polémico livro A Física da Alma. Alia o seu trabalho ao conhecimento de tradições místicas com exploração científica, procurando unificar a espiritualidade e a física quântica. Tal livro rendeu o filme Quem somos nós? (What The Bleep Do We Know? em inglês), que se tornou um sucesso de bilheteira nos Estados Unidos.

É também autor de outro livro conhecido: A Janela Visionária.

Esteve em Portugal em 2006, a convite da Unipaz., onde deu o seminário "O universo é auto-consciente através de nós”.

(in http://semearcriatividade.blogspot.com)

........................................................................................................................................................................

"É o observador que converte as ondas de possibilidades, os objectos quânticos, em eventos e objectos reais. Essa ideia de que a consciência é um produto do cérebro cria-nos paradoxos. Em vez disso, cresceu a ideia de que é a consciência que também é causal. Assim, cresceu a ideia da causalidade descendente. Eu diria que a revolução que a Física Quântica trouxe, com três conceitos revolucionários, movimento descontínuo, interconectividade não-localizada e, finalmente, somando-se ao conceito de causalidade ascendente da ciência newtoniana normal, o conceito de causalidade descendente, a consciência escolhendo entre as possibilidades, o evento real. Esses são os três conceitos revolucionários. Então, se houver causalidade descendente, se pudermos identificar essa causalidade descendente como algo que está acima da visão materialista do mundo, então Deus tem um ponto de entrada. Agora sabemos como Deus, se quiser, a consciência, interage com o mundo: através da escolha das possibilidades quânticas." (...)

Entrevista conduzida, entre outros, por Rose Marie Muraro

http://www.saindodamatrix.com.br/archives/goswami.htm
Mais em:
http://danielcaixao.multiply.com/journal/item/54

DEVAS DA NATUREZA

Recebi por mail este conjunto de fotos, acompanhado das palavras de apresentação e do endereço do site e acho-as verdadeiramente surpreendentes.
Serão apenas imagens tratadas e retocadas, ou vestígios de outras dimensões, inacessíveis ao olhar do comum dos mortais?



"o suíço Wolfgang

Weitzel é uma pessoa que

desenvolveu durante muitos anos um profundo

amor e respeito pelas plantas tendo conseguido entrar no seu mundo secreto, o que foi

registado nas suas fotos impressionantes."

"Muitas pessoas já ouviram dizer que, ao lado de cada planta, existe um "pequeno ser" responsável pelo crescimento e bem-estar da planta, sempre presente e cuidando dela.

Esses pequenos seres fazem parte do reino da natureza e são chamados

"Devas das Plantas" ( em alemão planzendevas).

Videntes podem vê-los, mas para a maioria das pessoas eles não são visíveis.


Ele tira as fotos duma maneira muito simples, pega na máquina e fotografa aquilo que vê.
O resultado é realmente fantástico. "