quinta-feira, 30 de outubro de 2008

A força do colectivo...

"A força do colectivo é a força do noite - a Lua, o psiquismo sociocultural que prende a pessoa ao passado da sociedade a que pertence. Esta sociedade funciona como uma força de inércia involutiva. Dane Rudyard diz que a força da individuação é a força do dia - o Sol, a consciência humana, que é a força inteligente da existência. Inteligência que dia a dia cada ser humano conquista ou não para si próprio."
Maria Flávia de Monsaraz
Imagem: Google

2 comentários:

Anônimo disse...

"L'ombre a tant été aimée qu'elle est devenue clarté"
in Rencontres avec la Splendeur

Permita-me discordar dessa senhora...Há mulheres sombra que odeiam a sua própria sombra, a Senhora da Noite a Rainha do tempos e do oculto, a grande iniciadora das almas...cultuam o dia e o rei sol...negando a Lua Mãe e as suas entranhas...
São as mulheres filhas do Pai que assimilaram a sua cultura. São as Atenas fiéis a Apolo...
Nenhum ser humano verá a luz sem que a sombra seja integrada. O equilíbrio do universo está representada no Tao entre yin e yang, preto e branco, noite e dia...masculino feminino, consciente-razão e inconsciente-intuição, porque não lógico, mas conhecimento intuitivo, do coração, a inteligência emocional...
um abraço
entre a luz e a sombra...
no meio a
rosa
R.leonor

Luíza Frazão disse...

Estamos aqui a usar a linguagem da Astrologia, onde a Lua simboliza o inconsciente e o Sol a consciência, isto independentemente de qualquer ideia de género...
É óbvio que aquilo que é ainda inconsciente precisa de ser iluminado/integrado pela consciência. Esse é o processo que nos leva à individuação.