quarta-feira, 11 de junho de 2008

O Sexo e a Cidade - parte 2


Eu não ia mesmo voltar ao assunto, mas esta manhã, ainda antes de ler os postes de Rosa Leonor e de Lealdade Feminina, acordei de má consciência em relação àquilo que tinha dito sobre a série.

Quanta ingratidão! Sem retirar o que disse, há 2 ou 3 pontos que gostaria de acrescentar para ficar melhor com a minha consciência:

1º trata-se de uma comédia e como tal as coisas são simples, caricaturais, exageradas...

2º a série pôs em acção a

Lealdade Feminina – aquelas mulheres aceitaram-se e apoiaram-se sempre, apesar das diferenças. Mais, aquelas mulheres nunca arrepelaram os cabelos umas às outras para ver quem é que ia ficar com o tipo – coisa que acontece muito tanto no cinema como na vida real. Aquelas mulheres consideraram sempre que a sua amizade estava acima de todos os envolvimentos com quem quer que fosse. E isso foi muito bonito.

e a

auto-suficiência e auto-motivação femininas.

E o sexo? À repressão seguem-se extravasamentos, excessos, confusões e equívocos. É normal. Mas as mulheres precisam mesmo de não evitar o assunto, de encarar a coisa, porque essa é das zona onde mais estamos presas e confusas e à mercê da moral patriarcal...

Precisamos mesmo de falar sobre isso, de enfrentar a fera.

2 comentários:

Lealdade Feminina disse...

É Luiza... as opiniões divergem mas o importante é a gente poder tratar o assunto com naturalidade e com respeito às diferenças...

E eu nem tinha visto pelo prisma do vínculo de lealdade feminina entre elas, isso realmente é lindo... e nem que seja por isso já passa a ter algum mérito...

Pra falar a verdade, todas nós devemos é estar aqui, no mundo virtual, jogando frescobol, trocando, compartilhando, ensinando, aprendendo, e jamais como uma partida de tênis...

Como dizia a frase do Saia Justa, se queremos um novo modelo social, devemos ser nós mesmas a mudar primeiro, e a agir de acordo com ele, esquecendo o estilo patriarcal com sua rivalidade e hierarquias...

Estamos no mesmo círculo, e devemos nos sintonizar com as coisas boas... sempre...

Não podemos estar de acordo em tudo, por isso "vive le diference" e o respeito acima de tudo.

Luíza Frazão disse...

É. O mais importante parece-me ser levantar questões. Acho que esta troca de ideias por aqui tem sido muito estimulante. E criativa.
Eu sou 100% a favor de revermos as nossas certezas uma vez por outra, como quando fazemos as grandes limpezas anuais da casa... Alargar as nossas zonas de conforto, provocar o nosso Saturno. Diz-se em astrologia que por vezes ele transforma os medos em virtudes...

Quando vou ao seu blogue, o meu Saturno eriça-se todo... já o meu Urano sente ali uma grande lufada de ar fresco e fica muito à vontade... rs.
Mas o que é que isto ainda tem a ver com o Sexo e a Cidade? Afinal a nossa interpretação das coisas pode mudar tudo: o que decidimos ver ou não ver ali? - é essa a questão, parece-me.