domingo, 22 de junho de 2008

Misticismo Celta

A Mente no Coração

"O misticismo é, em primeiro lugar, uma atitude da mente a nível do coração, e a integração essencial do Céu e da Terra é uma realidade construída a partir da visão celta.

A mente celta revela-se tanto pelo seu passado pagão como pela sua fé cristã. É uma mente que entende ser tudo possível. É possível que o Céu e a Terra estejam inextrincavelmente entrelaçados. É possível que não exista qualquer distinção essencial entre o lavrador, a sua vaca, os santos e os anjos. É possível que Brigith (...) seja no Céu uma grande amiga da Mãe de Deus. É possível que os santos celtas e os anjos se ocupem dos homens e mulheres mortais e respondam, como amigos, às suas orações de pedido de auxílio. Por amor, tudo é possível.

Por se acreditar que tudo é possível, tudo de torna possível, não existe nada a temer no antigo paganismo celta. (...) Nada há a temer, pois o “amor perfeito expulsa o medo” e, em vez de o passado ser negado e amaldiçoado, é antes afirmado e baptizado. O que outrora podia ser descrito como uma superstição, se alguma vez nisso tivesse consistido, é agora encarado como poesia que ainda tenta exprimir o mistério.

UMA QUESTÃO DE ATITUDE

O misticismo, a atitude da mente a nível do coração, é o melhor a que podemos ambicionar. A tradição celta pode mostrar o caminho especialmente às mentes desgastadas por estilos de vida sobrecarregados, stresse urbano, poluição sonora e toda a poluição mental que pode ser induzida pela exposição prolongada aos media e à vida moderna em geral. A espiritualidade celta, ou, se preferir, o misticismo celta, pode constituir um correctivo poderoso à espiritualidade estridente, doentiamente sentimental ou excessivamente racionalista, sendo que todas estas formas podem ser encontradas por vezes no Cristianismo contemporâneo. Cada vez mais, aqueles que sentem que se perderam no seu caminho viram-se para as suas raízes e, para muitos, estas raízes são, antes de tudo, celtas."

“Caia sobre vós a chuva bendita – a chuva doce e suave. Caia ela sobre o vosso espírito, para que brotem as mais pequenas flores e espalhem o seu perfume no ar. Que seja convosco a bênção das chuvas pesadas, que elas fustiguem o vosso espírito e o deixem ficar limpo e belo, deixando para trás numerosos lagos brilhantes onde resplandeça o azul do céu e por vezes as estrelas. Que esteja convosco a bênção da Terra – a Terra grande e redonda. E agora, que Deus vos abençoe, e vos abençoe com amor” (Oração irlandesa antiga.)

Anthony Duncun, Misticismo Celta

Imagens: Google

Nenhum comentário: