quarta-feira, 4 de junho de 2008

E o sexo, em que ficamos?



OK, sexo é bom, sexo é natural, sexo é vida!

Claro que há excessos. Como em tudo. Também há excesso de comida, de trabalho, de descanso... Há obesidades mórbidas, há os viciados em trabalho e os viciados em descanso (os procrastinadores...). Há o trabalho perverso, que é quando escravizamos alguém para fazer aquilo que não queremos fazer, de borla. Mas também quando não fazemos mais nada, servindo a todos, sem descanso nem tempo para nos divertirmos. Quando toda a nossa vida gira à volta do trabalho.
E há, claro, o sexo perverso... Assim como há a abstinência, ou a castidade, perversa, que é quando nos fechamos completamente a qualquer contacto com o outro.


Não sou especialista na matéria e para mim esta questão é uma espécie de "última fronteira". Há muito ruído nesta área, eu acho... e tenho alguma dificuldade em discernir... "Já não precisamos...", "Ainda precisamos...", "É fundamental...".

O mais consensual é: "Só com amor!", depois ainda: "Só tântrico!" ou "Só sagrado!". Óbvio que tudo nesta vida é melhor com Amor, Tântrico, Zen, Sagrado... Mas enquanto isso não acontece, já
estou como Lealdade Feminina: "é bom na mesma"... Enquanto isso, temos que ir tentando, aprendendo, partilhando...

Sexo é intimidade, sexo é ter prazer com o corpo e tem benefícios incontestáveis. Também tem perigos, óbvio, tal como temos intoxicações alimentares e outros acidentes... No sexo é que a VIDA tem origem. E por isso mesmo só pode ser super importante, não? É um momento de grande intimidade com o outro. Não digo da maior intimidade, mas é quando as nossas defesas, por vezes asfixiantes de toda a vida em nós, baixam; quando aceitamos ser vulneráveis e isso assusta, claro.

Ajude-nos a entender. Deixe o seu comentário!

Imagems: Alice Buis

.................................................................................................................................

Do comentário de Lealdade Feminina:

(...) O sistema inibe e reprime a sexualidade pq precisa da nossa libido desviada pra outros setores, como o trabalho, por exemplo...

E misturar sexo com carência afetiva é um gde problema social, é a essência do amor romântico... uma verdadeira psicopatia coletiva...

4 comentários:

Lealdade Feminina disse...

Sexo é bom, sim... e é vital...
Mas claro o bom sexo, não o sexo "obrigatório e/ou insatisfatório"

Sexo é além de tudo, uma necessidade biológica, física...
Podemos reprimir, sublimar, cambiar, mas o impulso existe, a vontade existe, e isso não se pode negar...

Claro, cada pessoa tem um perfil sexual individual, a necessidade, o controle e a forma de extravazar... tudo é pessoal...

Mas outro dia eu estive numa comunidade virtual onde se debatia o aborto ( no Brasil ainda é crime...)E o que eu disse, diante das pessoas discutindo a responsabilidade, se é pecado ou não, etc... Que isso não interessa a ninguém... Cada pessoa faz a sua escolha e vive a sua vida sexual como queira... e se as pessoas engravidam ninguém pode fazer juízo moral das decisões alheias... O que não pode, com certeza, é as mulheres continuarem sendo presas em consequência de ter feito um aborto... O crime é prender as mães que fazem dolorosamente essa opção, e não se deve discutir as opções sexuais de cada um...

Há uma curiosidade mórbida pela sexualidade alheia, bem como a necessidade de manipular ou culpar...

Sexo é lindo...

Mas qdo as pessoas tem experiências negativas, elas não tem essa mesma visão... nesse caso o melhor é buscar um auxílio profissional, e superar o trauma...

Enquanto não temos o sexo sagrado, a gente faz o sexo do jeito que gosta... não extrapolando os limites individuais, direitos, respeito, etc... Há uma terrível praga nos relacionamentos, que é a manipulação, a dominação do modelo patriarcal... Mas isso não significa que todos os relacionamentos são ruins em tudo... isso tbm não é verdade...
Há relacionamentos bons, enquanto duram...

Negar o óbvio é pura hipocrisia... todo mundo tem sim necessidade de sexo, pode canalizar isso pra outras coisas, pra outros tipos de afetos e atividades... mas a libido existe... e devíamos todos sermos um pouco mais libidinosos...

O sistema inibe e reprime a sexualidade pq precisa da nossa libido desviada pra outros setores, como o trabalho, por exemplo...

E misturar sexo com carência afetiva é um gde problema social, é a essência do amor romântico... uma verdadeira psicopatia coletiva...

Enfim...
Há vários blogues tratando do assunto, de formas diversas... acho isso positivo, pois a troca é sempre enriquecedora...

Luíza Frazão disse...

Obrigada pelo seu extenso e esclarecedor comentário. Vou postar uma parte que me pareceu particularmente "na mouche"...

Abraço

Luíza

anfibia disse...

oi luiza
acho que falar de sexo atualmente tem a ver com falar sobre poder, carências e necessidades das pessoas, mais do que de um encontro esfuziante e amoroso. penso que enquanto o homem encara o sexo como uma forma de dominar o outro ou de extravasar suas energias tensas, não há sagrado possível. da mesma forma, enquanto a mulher se esconde atrás do ideal romântico, também perde o homem possível. enquanto isso, vamos tentando...
abraços

Luíza Frazão disse...

Obrigada pelo seu comentário. muito de acordo.
O seu blog, num relance, pareceu-me muito interessante. Quando puder dispor de mais tempo, vou lá ver melhor.

Abraço fraterno
Luíza