quinta-feira, 22 de maio de 2008

MAIS SOBRE A TÉCNICA HO'OPONOPONO


"Em hawaiano, Hoo significa CAUSA e Ponopono significa PERFEIÇÃO. Através desta técnica, temos a capacidade de fazer o correcto para o nosso próprio Ser, de voltar para o estado da perfeição, de colocar novamente a nossa página vivencial em branco…, bastando apenas pedir à Divindade que aquilo que jaz dentro de nós, aquilo que ocasionou uma divisão nos nossos pensamentos, venha à superfície para ser libertado.

Ao pedir perdão à Divindade por ter hospedado pensamentos que nos separaram da nossa Unidade com o Espírito, o pensamento pernicioso e recorrente desaparece. Algumas vezes, para o conseguir, precisamos de pedir várias vezes a fim de que a razão que está atrás do pensamento venha à superfície e seja libertada. E quando isso acontece, o espaço preenche-se imediatamente com um amoroso sentido de Unidade.

O Ho’oponopono é um processo de arrependimento, pedido de perdão e transmutação e consiste em realizar um pedido à energia do Amor Universal e Incondicional para cancelar e substituir as energias tóxicas que possam achar-se em nós. O Amor realiza o processo fluindo através da Mente Espiritual ou Supra-consciência e continua o seu fluxo através da Mente Consciente, libertando-a da excessiva racionalização para entrar na Mente Emocional ou Subconsciente, onde anula todos os pensamentos que tenham emoções tóxicas, substituindo-os pelo Amor incondicional.

Não há limites para o número de vezes que esta ferramenta pode ser usada, especialmente no que se refere a transmutar pensamentos em pura luz, os da sua família, ancestrais e descendentes, posto que esta ferramenta é um pedido para purificar os pensamentos tóxicos que causam reais divisões na sua percepção.

O Ho’oponopono é realmente muito simples. Para os antigos hawaianos, todos os problemas começam a ser gerados nos pensamentos. Ter pensamentos não é o problema. O problema está em todos os nossos pensamentos que se encontram plenos de memórias dolorosas sobre pessoas, lugares ou coisas.

O intelecto como tal não pode solucionar esses problemas porque ele apenas administra processos. Administrar coisas, não soluciona os problemas. Tem que se deixar que fluam. Quando se faz Ho’oponopono, a Divindade encarrega-se dos pensamentos dolorosos e neutraliza-os. Fazendo Ho’oponopono, não purificamos pessoas, lugares ou coisa alguma. Em troca, neutralizamos a energia dolorosa que associamos a essas pessoas, lugares ou coisas. Assim, a primeira etapa para fazer Ho’oponopono é purificar energias.

A seguir, algo maravilhoso ocorre. Não somente a energia fica neutralizada, como também se desprende, ficando uma nova página vazia onde se pode escrever novamente outra realidade. A etapa final é permitir à Divindade actuar e preencher o vazio dessa página em branco com Luz Divina.

Para fazer Ho’oponopono não precisa de saber qual foi o engano cometido ou qual foi o problema, apenas precisa de perceber a existência de situações físicas, mentais ou emocionais que o estejam afligindo. Quando o fizer, a sua responsabilidade baseia-se em começar imediatamente a curar a essência de tais situações, dizendo simplesmente: “Sinto muito. Por favor, perdoe-me”. Trata-se apenas de realizar um trabalho interno sobre si mesmo, para melhorar o externo.

O procedimento pessoal baseia-se em manter-se calado e centrado em si, permitindo que o processo de transmutação seja levado a cabo por si mesmo, pois ao envolver o intelecto, o processo detém-se.

Se deseja resolver um problema pessoal, trabalhe sobre si mesmo. Se tiver um problema com outra pessoa, simplesmente pergunte-se: “O que existe em mim que faz com que esta pessoa me ataque?”. Eleve-se sobre essas situações dizendo simplesmente: “Lamento por algo que tenha acontecido ou esteja acontecendo. Por favor, perdoe-me”.

O bonito disto é que não terá que compreender nada a nível racional. É como navegar pela Internet. Terá apenas que ir para a Divindade e fazer clique para baixar a informação solicitada.

Por exemplo, se alguém se aproxima dizendo-nos que tem um certo um sofrimento ou uma dor física, podemos perguntar à Divindade: “O que acontece comigo para que eu tenha causado dor ou sofrimento a esta pessoa?” E logo, podemos perguntar à Divindade: “Como posso equilibrar esse problema em mim?”. Ou também: “Por favor, há algo que ocorre em mim que tenha causado este sofrimento nessa pessoa? Diga-me como posso equilibrar isto? As respostas a essas perguntas devem vir sem esforço e a seguir deveríamos fazer o que nos é inspirado… O que importa aqui não é o efeito mas sim o entendimento sobre a origem do problema. Essa é a chave." (Adaptado)

http://www.despertardamente.com.br/s/artigos/ho'oponopono---por-joe-vitale-829.html

imagem: Google

Nenhum comentário: